CONHEÇA A DIFERENÇA ENTRE PLASMA X LCD X LED

 

tp_plasma_lcd_led_2

“Qual o melhor tipo de TV?”

“O LCD é melhor que plasma.”

“O Plasma está morrendo.”

“A tecnologia LED é melhor que a tecnologia LCD.”

“Não compre plasma, gasta muita luz.” 

Veremos que cada tipo depende do local de uso.

O custo de produzir LCD abaixou nos últimos anos, prejudicando o concorrente, mas o plasma teve um grande desenvolvimento tecnológico. LED é LCD também, a diferença é a retro iluminação, alguns fabricantes escondem este fato tentando confundir o consumidor com tecnologia OLED. É verdade que a plasma gasta bastante luz, porém a LCD/LED é tão mais cara que a plasma, que o consumo de energia menor “equilibra”.

Além desses modelos, é bem provável que no futuro sujam tecnologias como: TV OLED, TV SED , TV LASER, TV 3D, TV CÉLULA.

DIFERENÇAS CONSTRUTIVAS

Plasma

O brilho da tela do plasma é gerado quando o gás recebe altas tensões que faz o gás mudar o se1u estado físico para plasma, neste momento a luz ultravioleta incide sobre as células de fósforo. Na absorção destes sinais é formada a imagem, pois, emitem luzes RGB (vermelho, verde e azul) de intensidades variáveis conforme nível de sinal.

Numa comparação mais simples, é o que acontece com as luzes de neons coloridos, usadas em letreiros e fachadas.

LCD

Ao contrário dos plasmas, o LCD necessita de fonte externa para gerar brilho. No LCD comum é feita através de “lâmpada fluorescente” CCFL-Cold Cathode Fluorescent Lamp (backlight), instalado atrás do cristal LCD (originalmente opaco). Através de circuitos eletrônicos cada pixel “abre-fecha”, deixando passar mais ou menos brilho nas 3 cores primárias (RGB – vermelho, verde e azul).

LCD DE LED

A tecnologia é LCD, a diferença é que no lugar da “lâmpada fluorescente” a retro iluminação (back light) dá-se por lâmpadas LED (diodo emissor de luz).

ASPECTOS TÉCNICOS RELEVANTES

PROFUNDIDADE

Para muitos, importante no aspecto estético.

LCD LED – apresenta na faixa de 3 a 5 cm de profundidade.

LCD e PLASMA – normalmente entre 9 a 12cm de profundidade. Já existe plasma com profundidade de 4 cm, porém, sem previsão de chegar ao Brasil.

CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA

Importante ao meio ambiente, contudo pouco relevante ao seu bolso em caso de uso normal. Para recuperar a diferença de custo de consumo mais baixo do LCD LED em relação ao Plasma é muito demorado.

LCD LED – imbatível neste quesito, o LED consome muito pouco.

LCD – consome aproximadamente 1,5 até o dobro do LCD LED.

PLASMA – consome o dobro/triplo do LCD LED.

TONALIDADE

Bastante importante no home theater, mas nem tanto no uso corporativo.

PLASMA – as cores são mais naturais e intenas; mais fáceis de regular.

LCD LED – necessita deixar uma regulação mais quente.

LCD – um dos aspectos negativos é deixar cores muito vibrantes, pois tiram a naturalidade da imagem. Se regular com menos intensidade, a cor tende ao azul.

TAXA DE CONTRASTE

Muito importante no Home Theater e no uso corporativo.

PLASMA – a cor preta é mais intensa em relação aos seus concorrentes.

LCD LED – o back-light em LED melhorou muito o controle desta iluminação.

LCD – por causa da lanterna existente em alguns modelos, em ambientes escuros há um vazamento de luz nos cantos da tela, diminuindo o contraste.

BRILHO

Muito importante em uso corporativo ou  ambientes iluminados.

LCD LED – imbatível neste quesito, sugerimos o uso em ambientes iluminados e não controláveis.

LCD – muito bom, tanto que é usado em notebooks e monitores.

PLASMA – perde, pois não tem o back-light para produzir brilho intenso.

ÂNGULO DE VISÃO

PLASMA – melhor em ângulos abertos.

LCD LED – melhorou a visualização em relação aos LCD convencionais.

LCD – atualmente melhor muito o ângulo, em vista de antes que o máximo era de 120º. Porém, não recomenda-se assistir de lado.

VIDA ÚTIL

Em Home Theater é irrelevante, pois ninguém vai usar 60.000 horas. As TVs antigas CRT (14″, 20″, 29″, 36″…) duram 20.000 horas e na maioria dos casos acabam trocando antes de usar este tempo.

No uso coporativo é muito importante quando se deixa dia inteiro ligado. (lojas, monitoramento, digital signare).

LCD LED- maior duração com menos consumo (50.000 horas ou mais).

LCD – os fluorescentes da TV duram muito (50.000 horas ou mais).

PLASMA – é a lanterna (30.000 horas ou mais).

NITIDEZ

Muito importante em Home Theater e nem tanto no corporativo.

PLASMA- melhor e mais natural.

LCD LED – um pouco melhor que o LCD.

LCD – difícil regulagem para não ficar uma imagem “irreal”.

TAXA DE ATUALIZAÇÃO (refresh rate)

Importantíssimo em Home Theater, sem importância no uso corporativo. Indica quantas vezes a mesma imagem por segundo é renovada na tela, nos sistemas NTSC (EUA) e no nosso PALM as imagens se formam a 30 quadros por segundo. Uma maior Taxa de Atualização contribui para deixar a imagem mais natural e menor cansaço visual.

1. PLASMA – campeão, esta tecnologia é quase que imune a este tipo de problema (400 a 600Hz). O olho humano não permite diferenciar um número de varredura muito grande; não notamos diferenças entre aparelhos de 400Hz e 600 Hz.

400Hz – 13 varreduras por segundo
600 Hz – 20 varreduras por segundo

2. LCD e LCD LED – estão avançando neste quesito passando de 60 a 120Hz em alguns modelos. Os tops virão com 240 Hz.

60 Hz – 2 varredura por segundo
120 Hz – 4 varredura por segundo
240 Hz – 8 varreduras por segundo

TEMPO DE RESPOSTA

Em Home Theater é muito importante em cenas rápidas e sem importância para uso corporativo.
Medidas em milissegundos.

No LCD é o tempo que os pixels “abrem e fecham” para acender e apagar na sua reprodução. Sua “demora” deixa rastros e borrões na tela.

No Plasma é o tempo entre o pulso elétrico o a reação química, muito mais rápida que o “abre-fecha” dos cristais LCD.

PLASMA – campeão, em média 2 milisegundo.

LCD e LCD LED – em média 4 a 6 milisegundo, os fabricantes estão melhorando seus índices.

CUSTO

Importantíssimo no Home Theater e no corporativo.

LCD e PLASMA – o preço é relativamente o mesmo.

LCD LED – maior que os outros.

CONCLUSÃO

PLASMA – Não indicado para uso corporativo e sim para Home Theater, quando o ambiente apresenta baixa iluminação natural ou é controlável. Tem melhor contraste, tonalidade, taxa de atualização, tempo de resposta e custo excelente.

LCD CONVENCIONAL – Imbatível em uso corporativo, indicado para Home Theater em ambientes muito iluminados e não controláveis, churrasqueiras, copas, banheiros, etc. Custo bom.

LCD LED – Muito caro para uso corporativo e em Home Theater o seu charme é a pouca profundidade. Dependendo do modelo há muitos recursos técnicos modernos, porém não é todo usuário que usufruirá de toda essa modernidade. Custo alto.